21 maio 2018

Os mais ricos não agem como empreendedores, e sim como predadores do país

Brasil é um paraíso fiscal e tributário para os que ganham mais e um inferno para os que ganham menos.

O cerne do problema é que os mais ricos conseguem isenção de imposto de até 70% sobre o que auferem e embolsam como pessoa física. Quem ganha mais de 200.000 reais por mês no Brasil paga como se ganhasse 2/3 menos. 

Agora, faça essa conta com quem ganha na casa das dezenas de milhões com dividendos de suas empresas.

País algum suporta isso. A consequência são impostos altos sobre os mais pobres e a classe média, um rombo gigantesco nas contas públicas e péssimos serviços de educação, saúde e segurança pública.

"A principal doença do sistema tributário brasileiro é a regressividade”, 
diz Charles Alcântara, presidente da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco) e do movimento Reforma Tributária Solidária, promovido pela Fenafisco em conjunto com a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip). 

A matéria sobre o tema está no jornal El País, de 18 de maio de 2018.


















O Brasil precisa de uma opinião pública melhor informada, atenta e democrática.
 
Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.