17 maio 2012

Unificação das eleições

Eis uma péssima ideia.

Unificar as eleições todas em um único ano embola o debate e dificulta a escolha de candidatos pelo eleitor, o que já não é uma tarefa fácil, em um sistema com uma profusão de candidaturas e partidos por todos os lados.

As eleições de dois em dois anos são um fator de equilíbrio político e pluralidade do sistema político, na medida em que os partidos são cobrados mais vezes (de 2 em 2 anos, e não de 4 em 4) sobre os resultados de suas políticas. Nesse interim, péssimos prefeitos dificultarão a vida de candidatos à presidência, ou péssimos presidentes dificultarão a vida de seus candidatos a prefeito.

Desse jeito, eleições gerais vão se tornar eleições genéricas.

Quem vota  pouco, vota mal. Quem vota sem digerir as propostas dos candidatos, tende a fazer grandes besteiras. Um turbilhão de candidaturas reunidas todas de uma só vez só fará aumentar o grau de confusão e de surpresas indesejáveis da nossa política.




Plenário vota convocação de plebiscito para unificar data de eleições
 
Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.