27 setembro 2012

Diplomacia de cooperação do Brasil com a África vai praticamente empatar com a do Mercosul

Brasil vai investir US$ 40 milhões (cerca de R$ 80 milhões) em projetos de cooperação internacional para o desenvolvimento na América do Sul, América Central e Caribe, nos próximos três anos.

E vai investir US$ 36 milhões (cerca de R$ 72 milhões) na África, em projetos nas áreas de agricultura, saúde e formação profissional, também nos próximos três anos.
A informação é da Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores.

 


Embaixador: Brasil vai investir R$ 80 milhões em cooperação na América Latina
O diretor da Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Fernando José Marroni de Abreu, informou que o Brasil vai investir US$ 40 milhões (cerca de R$ 80 milhões) em projetos de cooperação internacional para o desenvolvimento na América do Sul, América Central e Caribe nos próximos três anos.

Segundo ele, a maior demanda está nas áreas de agricultura, educação e programas de inclusão social. O embaixador disse ainda que o Brasil também possui cooperação na área de defesa. “Oficiais e suboficiais vêm ao Brasil para serem treinados em diversas áreas”, afirmou.

Marroni participou do seminário “Os desafios da política externa brasileira em um mundo em transição”, realizado pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional e pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O embaixador disse ainda que o Brasil vai investir US$ 36 milhões (cerca de R$ 72 milhões) na África, em projetos nas áreas de agricultura, saúde e formação profissional, também nos próximos três anos.

Para o representante da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), Helder Muteia, o Brasil tem grande responsabilidade no combate à fome no mundo. Ele defendeu a transferência de tecnologia da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) para outros países e destacou a importância de o Brasil apoiar a agricultura familiar. “70% dos alimentos que chegam à mesa do brasileiro vem da agricultura familiar”, observou. Segundo Helder, a política pública do Brasil para o setor é modelo para o mundo.

O pesquisador do Ipea João Brígido salientou que os gastos do governo federal na área de cooperação para o desenvolvimento internacional, nos últimos três anos, foram em ajuda humanitária, operação de manutenção de paz no Haiti, cooperação técnica e educacional, além de contribuições para organismos internacionais.



Fonte: Agência Câmara. Reportagem de Oscar Telles e edição de Daniella Cronemberger.

 
Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.