21 janeiro 2012

O físico Carl Sagan dá uma aula de como ler a escrita egípcia


Para isso, segue os passos de Jean-François Champollion, que decifrou as inscrições na pedra conhecida como Roseta e nos ajudou a redescobrir uma civilização que havia desaparecido e já não conseguia se comunicar.

Por muito tempo, o Egito Antigo foi uma espécie de civilização alienígena entre nós. Alienígena no sentido de desconhecida, a que estávamos alheios, que não sabíamos como funcionava.

Sagan usa a descoberta de Champollion como uma analogia dos desafios da Física em descobrir os segredos do universo. A busca é por encontrar padrões detrás das evidências e construir narrativas elucidativas

Na Física, há muitas mensagens ainda não decifradas. Há uma Pedra Roseta galáctica, mas por enquanto só se consegue ler alguns fragmentos.

Uma bela demonstração de como a Linguística e a História, com seus métodos e seus conhecimentos, são ciência pra físico nenhum botar defeito.

Vídeo exibido pela @tvescola
Abaixo, desenhos que reproduzem inscrições utilizadas por Sagan para explicar a leitura das inscrições egípcias.

 
Siga o blog e receba postagens atualizadas. Clique na opção "seguir", ao lado.