12 abril 2017

O serviço público federal brasileiro e a fábula do ataque das formigas gigantes

Diagnósticos errados e concepções estereotipadas são um bom caminho para piorar, e não para melhorar o serviço público. Por isso esses diagnósticos e concepções precisam ser constantemente revisitados e reavaliados.

Por exemplo, em que medida a ideia de que o serviço público federal brasileiro é acometido por um inchaço crônico e movido por um clientelismo, patrimonialismo e partidarização contumazes?

Essas são concepções impregnadas no senso comum. 

O texto para discussão que escrevi (Ipea, TD 2287 - O Serviço Público Federal Brasileiro e a Fábula do Ataque das Formigas Gigantes, abril de 2017), além de recolher evidências sobre o assunto que problematizam essa percepção vulgarizada, tem o objetivo específico de tecer recomendações e propostas sobre o que fazer para superá-la. 

Além disso, proponho, na linha da transparência ativa, aprofundar o oferecimento de informações regulares e qualificadas a respeito do serviço público federal brasileiro, por meio de processos sistemáticos de prestação de contas; a formulação de um plano decenal de organização, qualificação e inovação do serviço público; e a criação de um observatório do serviço público. 



LASSANCE, Antonio. O serviço público federal brasileiro e a fábula do ataque das formigas gigantesTexto para Discussão nº 2287, abril de 2017. Disponível em <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_2287.pdf>

Palavras-chave: Estado; administração pública; serviço público civil; gestão de pessoas.


Leia (clique para abrir e ler o arquivo em pdf)

Para uma versão resumida, leia o sumário executivo do TD 2287.


O Brasil precisa de uma opinião pública melhor informada, atenta e democrática.
 
Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.