10 fevereiro 2015

O ódio que cresceu 550% na América Latina

Países que mais obtiveram avanços na redução da desigualdade têm sido estigmatizados politicamente e sofrem permanentes ataques à democracia, marcados pela tentativa de desestabilização de seus governos de esquerda. 

O ódio é proporcional ao feito de redução das desigualdades, mas também aos problemas da relação entre o Estado e o capitalismo nesses países. 

Saiba por quê.



Leia o artigo completo.



 
Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.