04 novembro 2014

Para especialistas estrangeiros, perspectivas do Brasil são melhores do que pessimismo do comentarismo econômico faz crer







Envolvimento maior de Lula em segundo mandato de Dilma também é visto como animador

Quatro razões para entender por que mercado 'desconfia' de Dilma

Matéria da BBC Brasil em Londres
Daniel Gallas 

'Exagero interno' contagia exterior
O sentimento negativo em relação à economia no segundo mandato de Dilma entre vários investidores internacionais tem sua origem em um pensamento difundido pelo empresariado brasileiro, na avaliação de
Stephen Rose, da LatinCo, consultoria de Londres que auxilia instituições europeias a investir no Brasil.

"A vitória apertada de Dilma ontem [domingo] na eleição presidencial do
Brasil pode ser uma decepção, mas não é um desastre", escreveu Rose em um boletim enviado a seus clientes nesta segunda-feira em Londres.

Ele cita que o mercado tinha mais confiança na perspectiva de reformas e ortodoxia na economia com uma vitória de Aécio Neves e a provável indicação de Armínio Fraga para o Ministério da Fazenda.

"O antagonismo da comunidade brasileira de negócios a Dilma distorceu o cenário, dando a impressão de que o Brasil vai embarcar em quatro anos terríveis."

"O problema maior é com os empresários locais. O Brasil continua atraindo muitos investimentos estrangeiros diretos", diz Victor Bulmer-Thomas, analista do think tank londrino Chatham House.

O Brasil atrai, em média, US$ 55 bilhões (R$ 139 bilhões) em investimentos estrangeiros diretos por ano - e essa média não caiu este ano, mesmo diante do pessimismo registrado no mercado financeiro".

Fonte: BBC.






 
Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.