28 junho 2013

Renda dos 10% mais pobres cresceu 91% nos últimos 10 anos #ipea


Renda dos 10% mais ricos também aumentou: 17%.
Os dados são do IBGE e foram apresentados pelo IPEA.

IBGE revela que renda dos 10% mais pobres cresceu 91%Fonte: Repórter Brasil Noite, EBC.

APRESENTADORA FERNANDA ISIDORO: A renda dos 10% mais pobres cresceu 91% nos últimos dez anos, enquanto que entre os 10% mais ricos, aumentou 17%. Os dados são do IBGE e foram apresentados hoje [27/6/2013] pelo ministro interino da Secretaria de Assuntos Estratégicos, o presidente do Ipea, Marcelo Neri.

REPÓRTER: Os dados mostrados no Centro de Mídia são do IBGE e da PNAD, a Pesquisa Nacional por Domicílio, de 2001 a 2011, e, segundo os números, o Brasil teve conquistas sociais significativas, a partir do crescimento da renda, associada ao aumento de salários. Em dez anos, a renda dos 10% mais pobres cresceu 91%, enquanto que entre os 10% mais ricos, cresceu 17%.

Nas seis maiores regiões metropolitanas do país, houve aumento dos postos de trabalho, considerando a ocupação informal, mas com destaque para as vagas com carteira assinada. Para ministro interino da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Marcelo Neri, a desigualdade caiu na última década. A economia brasileira vive fase de queda nos juros e está em vantagem em relação a outros países com a democracia e o mercado interno fortalecidos.

Sobre os benefícios que os grandes eventos podem trazer para a população, o ministro disse que em cidades como Barcelona, na Espanha, e Seul, na Coréia, houve grandes avanços e que o momento favorável da economia brasileira é bem diferente de lugares como a Grécia, que enfrenta índice de desemprego de 27%, enquanto aqui, não passa de 5%. Diante dos números, o ministro disse que não acredita que os protestos nas ruas sejam feitos pelos mais pobres e que vê como positivas as manifestações da sociedade.

MINISTRO INTERINO DA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS/MARCELO NERI: O Brasil tem um quadro de educação e saúde fraco, menos fraco – bem menos fraco – do que era há dez anos atrás. Agora, há muito para avançar. Esse é o lado positivo desses protestos: se levar a investir mais e melhor em educação e saúde. Eu acho que a gente sai melhor do que entrou nessa fase de protestos.