06 dezembro 2012

Dilma mantém tendência da Presidência Lula de crescimento dos investimentos na área social

Gastos sociais federais subiram de 15% para mais de 16% do PIB.

A soma chegou a R$ 568 bi em 2011 só nos ministérios tidos como tipicamente sociais (Saúde, Previdência, Educação, Desenvolvimento Social). Somando outros programas, com forte impacto social (como o "Minha Casa, Minha Vida", de habitação), chegou a R$ 672 bilhões.

Em 1995, este percentual estava na casa de pouco mais de 11%.

Só nos O estudo do Ipea estima ainda que o Gasto Social Federal total, que inclui programas implementados fora do órgão “tipicamente sociais”, tenha atingido, em 2011, R$ 672 bilhões. Isso equivale a 16,23% do PIB do mesmo ano. Em relação ao PIB divulgado para 2011, esse montante representa 13,7% do total. A maior parte do orçamento ficou concentrada em cinco ministérios: Previdência Social (52,0%), Saúde (13,8%), Trabalho e Emprego (9,5%), Educação (11,3%) e Desenvolvimento Social e Combate à Fome (8,1%).

Fonte: Ipea.

Leia a nota técnica "Gasto Social Federal: uma análise da execução orçamentária de 2011"

Video: assista à integra da coletiva de lançamento

Vídeo: Rafael Osório, diretor de Estudos e Políticas Sociais do Ipea comenta os dados da nota técnica

Vídeo: José Valente, técnico do Ipea traça um panorama sobre o comportamento do gasto social federal (GSF)



Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.