19 junho 2012

O lado B da economia verde

Negociações internacionais sobre alterações climáticas têm adotado uma lógica cada vez mais centrada no mercado. 

Mecanismos como créditos de carbono vinculam ações preservacionistas às dinâmicas financeiras. 

Para os países ricos, o cuidado com a natureza deve ser feito de modo a não atrapalhar o andamento da economia. Seria a única alternativa diante de devastações ambientais em áreas de proteção?

DESAFIOS DO DESENVOLVIMENTO, Revista do IPEA.


Mais sobre o assunto:
A Rio+20 é o de menos.

 
Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.