12 maio 2012

Direito ou controle?

Feministas querem derrubar medida que criou cadastro obrigatório de gestantes. 

Medida provisória 557/11 prevê o pagamento de R$ 50 durante a gravidez para incentivar a realização de exames pré-natais.

O objetivo da nova legislação, segundo o governo, é reduzir a mortalidade materno-infantil.

A Coordenação Nacional da Articulação de Mulheres Brasileiras, no entanto, é contra a criação de comitês locais de vigilância e acompanhamento de gestantes, prevista na MP.

A representante da coordenação, Rogéria Peixinho, reclama que a MP, além de prever a criação de um cadastro de todas as grávidas, propõe a organização de um comitê nos municípios que vai monitorar as grávidas, a ser composto por organizações ou entidades.

“A gente não vai ter esse controle nos municípios. As entidades podem ser religiosas. A gente está preocupada com quem vai integrar esses comitês e fazer esse monitoramento, vigiando as mulheres.”






 
Para seguir o blog e receber postagens atualizadas, use a opção "seguir", ao lado.