19 julho 2010

Crise do ensino médio revela o ocaso e o descaso dos governos estaduais



O último resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), promovido pelo Ministério da Educação, revelou mais um capítulo de um problema que se arrasta há décadas: a crise do ensino médio estadual público.

Eis os dados:
  • As redes estaduais respondem por 85,9% das matrículas de ensino médio no país;
  • São, ao todo, 8,33 milhões de estudantes de ensino médio, dos quais 7,16 milhões estão nas redes estaduais públicas;
  • As escolas privadas detêm 973 mil alunos (11,6%);
  • As mil piores escolas do país são quase todas estaduais (973, ou 97,3%), segundo os dados do Enem 2009;
  • Apenas dez dentre as piores são privadas (1%) e 17 (1,7%) são municipais (em vários estados, os municípios acabaram por assumir escolas estaduais, por pressão de seus cidadãos e como forma dos prefeitos mostrarem que são capazes de apresentar melhores resultados, embora nem todas as prefeituras tenham condições financeiras de encampar escolas estaduais);
  • Das poucas escolas federais de ensino médio, o Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Viçosa (MG) ocupa o sétimo lugar entre as melhores do País. Mas os estabelecimentos federais respondem por 90 mil alunos (1% do total) deste nível de ensino. 
Fonte: Instituto Nacional de Estudos e. Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP),  Ministério da Educação.
Acesse a nota técnica do INEP sobre os resultados do ENEM.
Acesse a planilha com os resultados por escola.


O ensino médio, conforme a Constituição, é atribuído aos Estados. A esfera federal é responsável pelo ensino superior (universidades) e tem assumido o ensino técnico, com os Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefet's).

Siga o blog e receba as atualizações de postagem por email. Clique na opção "seguir", ao lado
Enviar email para o blog de Antonio Lassance
Me siga no Twitter